Portuguese Jewellery x MAAT | Reshape

Portuguese Jewellery X MAAT: Rethink. React. Reshape” is the motto of the second edition of the iniciative that unites AORP and MAAT where sustainability is protagonist. With the purpose of selling and exhibiting the products of young jewellery creatives, 6 portuguese jewellerys brands were challenged to design an exclusive collection inspired in the upcycling, through the incorporation of used/wasted materials.

The collection is now available in two different spaces of Fundação EDP, MAAT store and Museum of Electricity store.

Ana Bragança, Clélia Jewellery, Leão Creative, Lia Gonçalves, Mariana Machado and Wonther developed new partnership with specific brands/entities in order to create jewellerys items from wasted and/or recycled materials with the aim of raising awareness about the emergence of climate action and sustainable fashion.

 

 

Ana Bragança x Atelier Circonflexe

Ana Bragança estabeleceu uma parceria com o “Atelier Circonflexe”, um gabinete de Arquitetura de ex-colegas de trabalho, localizado na Suíça, em Lausanne, formado por duas mulheres para as quais a joalheira tem um especial apreço, por saberem que encaram de forma extremamente profissional as questões ligadas à Arquitetura Sustentável, escolhendo cautelosamente e de forma séria tanto os materiais como os métodos construtivos utilizados. Às antigas maquetes do gabinete, realizadas em K-line - objetos estes que deixaram de ter utilidade e que iam ser descartados - Ana Bragança juntou umas estruturas realizadas num material nobre, estruturas estas que relembram cortes ou alçados de um projeto de Arquitetura imaginário, onde vivem personagens e árvores feitas em Prata 925.

Desta forma, com a mini coleção “New Home”, Ana Bragança conseguiu dar um novo uso ao “lixo” do atelier e, de certa forma, conseguiu redefinir a preciosidade de maquetes obsoletas.

 

Clélia Jewellery x Vicara

Numa parceria com a "Vicara Design", a Clélia Jewellery selecionou a madeira de alfarrobeira, para elaborar estas peças. Usada nas tampas do decanter de vidro "Cerne", desenvolvidas pelo artista Samuel Reis, foi nesta madeira que encontrou a durabilidade, resistência e versatilidade que pretendia.

Num passeio junto ao Rio, é impossível ficar indiferente à magnitude do MAAT. De dimensão imponente, e pala ondulada, abraça o rio Tejo trazendo ao presente a memória da nossa história marítima, transportada na proa das magníficas naus e caravelas de madeira que por ali navegavam em busca de outros povos, culturas e riquezas. A ondulação do Tejo e a pala do edifício foram a inspiração para desenvolver esta mini coleção. Peças esculpidas à mão que refletem o equilíbrio entre o tosco e o elegante característicos de uma nova modernidade.

 

Leão Creative x Viúva de Lamego

Leão Creative apresenta-nos a coleção “Renascimento”, uma série de joias limitadas que eleva o objeto de coleção, os azulejos quebrados, sem futuro próprio. Resgata e apropria-se dos princípios do padrão azulejar, ora isolando ou destacando o módulo – no brinco – ora aplicando a sua repetição na criação de uma unidade espetacular – nas pulseiras.

O nome associa-se ao propósito urgente de repensar a vida dos excedentes fabris e tem a audácia de chamar para si os tempos áureos renascentistas, em que se começam a produzir azulejos em Portugal, com características claramente nacionais.

“Renascimento” é o resultado de uma parceria inédita entre a marca de joalharia Leão Creative e a fábrica centenária de azulejar, a portuguesa Viúva de Lamego, promovida pela AORP – Associação de Ourivesaria e Relojoaria de Portugal e pelo MAAT – Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia | Fundação EDP.

 

Lia Gonçalves - ENSAIO

A coleção ENSAIO é o resultado de uma parceria entre a moda e a joalharia.

No contexto RESHAPE, aliou-se a prata reciclada (através da recolha e compra de peças em prata usadas e posterior afinação) à celulose bacteriana, desenvolvida no contexto da tese de doutoramento em design, na faculdade de arquitetura da universidade de Lisboa, pela investigadora Silvia Araújo.

Não sendo a celulose, ainda, totalmente hidrofóbica, a coleção ENSAIO apropria-se da mistura da prata e da celulose, num complemento estético, onde o antes e o depois não destroem design e funcionalidade das peças: são joias mutáveis, onde o manuseamento da mesma por cada utilizador será díspar e a degradação da celulose imprevisível. A mutação dará a cada peça uma construção contínua, para um novo desenho, até à degradação total da celulose, destacando a prata e os tubos soltos, inspirados no tubo-de-ensaio de laboratório.

 

Mariana Machado Jewellery X I.Glass

A Mariana Machado Jewellery, em parceria com a I.Glass, criou uma coleção em prata 925 composta por colar, pulseira e brincos com pendentes em prata e vidro.

A coleção tem por base peças fortes e intemporais, resultado da repetição de elos de prata soldados em corrente. Os pendentes em vidro adicionam cor e versatilidade a gosto. Cada pendente tem um fecho estilo italiano para permitir ser pendurado na corrente do colar, da pulseira ou dos brincos.

Na I.Glass, a maioria do vidro transparente partido durante o processo de fabrico manual é reciclado, reintroduzido no forno de fusão com a mistura vitrificável, dando origem a novas peças. O vidro colorido partido é descartado porque contamina a massa vitrificável e tem de ser reciclado por uma empresa especializada. Os pendentes disponíveis nesta coleção são feitos a partir dos pedaços de vidro colorido partido, provenientes do desperdício da produção.

 

Wonther x Ownever

A Wonther e a Ownever juntaram-se na criação da pulseira INTERLINKED, na qual a Wonther reutilizou pedaços de bio-leather (significa que a pele é biodegradável, uma vez que esta é tingida com tintas vegetais) que resultam da produção das malas da Ownever.

A pulseira INTERLINKED homenageia um mundo de ligações, nas quais a união faz a força e é sinónimo de poder. Uma corrente que não nos limita, mas que nos liga, elevando-nos uns aos outros.

A pulseira encontra-se inserida na nova coleção da marca, INTERLINKED, da qual fazem parte mais 6 peças. No MAAT a pulseira poderá ser comercializada em Prata 925 Banhada a Ouro de 24K, com bio-leather reutilizada da Ownever.

 

This partnership begun in December 2018 with the iniciative “Portuguese Jewellery X MAAT: Matéria-prima”. With the purpose of promoting young creatives that combine tradition with contemporary design concepts.